Criança na cozinha traz muitos benefícios

Ter a criança na cozinha é uma estratégia valiosa para ensinar habilidades emocionais e comportamentais, que serão úteis na vida adulta.

Terú Gouveia

Apresentadora do programa Vida e Saúde, empresária e mãe de 3.

1 artigos


10 de janeiro de 2021

A cozinha é o lugar mais importante da casa. Ela serve toda a família, por isso também é importante ter criança na cozinha!

É lá, que surgem os conteúdos mais dinâmicos de uma família. É nesse cômodo tão especial da casa que as crianças podem aprender bons hábitos alimentares e ainda de quebra levar outras tantas vantagens para a vida.

Isso porque durante a preparação de uma receita, dá pra explicar aos pequenos que alimentos são aqueles e quais são os benefícios para a saúde.

Nessas horas, o ideal é contextualizar usando uma linguagem lúdica. Por exemplo: ao invés de falar que a farinha integral é rica em fibra, diga que ela é muito boa para a pele e deixa a barriguinha (o intestino) funcionando direitinho levando todas impurezas do corpo embora. 

Essa é uma boa forma da criança saber mais sobre os benefícios de um ingrediente e dessa forma aumentar suas chances de aceitar diferentes alimentos.

Além disso, elas acabam tendo a chance de estimular os seus sentidos em relação a comida. Com a possibilidade de tocar o alimento, sentir o cheirinho gostoso, de ver e preparar um prato divertido e colorido… E tudo isso traz muito mais vontade de comer.

Então, a refeição se torna mais que um momento de apenas se alimentar. Torna-se um momento de prazer e curiosidade, onde a autoconfiança é trabalhada.

E ela ainda, tem a chance de compreender que preparar uma refeição é um ato de amor.

Ter a criança na cozinha favorece os vínculos

É certo também, que passar tempo na cozinha com as crianças mostram grandes oportunidades para estreitar vínculos e conversar sobre valores, e tudo isso de forma descontraída – brincando, comendo e se divertindo.  

Ao preparar uma receita, por mais simples que seja, a criança tem a oportunidade de desenvolver habilidades motoras, começa a ter noção de ordem e matemática aplicada na prática. Principalmente porque a sequência e proporções são quase sempre importantes nas preparações culinárias, não é mesmo?

Então permitir que a criança viva experiências na cozinha é capaz de gerar diversos aprendizados em diferentes áreas do seu desenvolvimento.

Sem dúvida, a paciência também é trabalhada, pois a comida nem sempre fica pronta rapidamente.

É preciso respeitar processos, aquecer, resfriar, esperar… e essa virtude é muito útil durante a infância.

E fará total diferença à medida que os anos passam, pois ter paciência é uma ferramenta essencial para lidar com o estresse e a ansiedade.

Ter a criança na cozinha é uma estratégia valiosa para ensinar habilidades emocionais e comportamentais, que serão úteis na vida adulta.

Escolhendo melhor, mesmo sozinhos

Por fim, fazer a própria comida, mesmo a mais simples, estimula a autonomia da criança contribuindo para a construção da boa autoestima.

Uma vez que cozinhar é uma tarefa importante, essa atividade inspira responsabilidade, colaboração e faz com que as crianças se sintam especiais.

Com o tempo, as crianças que vivem essa experiência, começam a raciocinar de causa para efeito, podendo escolher alimentos e preparações mais saudáveis. Até a amada batata frita pode ganhar uma versão deliciosamente saudável quando a criança perceber que a batata pode ser assada e, ainda sim, ficar uma delícia!

Desde a pandemia do novo coronavírus, ao precisar ficar em casa, muita gente reativou a cozinha e neste processo precisou levar junto os filhos.

No começo foi o caos. Depois, para os que perseveraram, a cozinha tem cumprindo seu papel de trazer mais saúde, amor e companheirismo à casa.

Viu como ter criança na cozinha e do seu lado, é importante? Incentive essa atitude na sua casa também.

Compartilhe esse artigo, ele pode pode ajudar outras famílias! 😉

Voltar