3 Sintomas da depressão que pouca gente sabe

Os sintomas da depressão não se resumem a tristeza e desânimo. Por existir esse mito, muitas pessoas sofrem com a doença e nem sabem. Descubra outros sinais dessa doença que já é considerada um dos maiores problemas de saúde pública.

Alessandra Guimarães

Jornalista e Gestora de Conteúdo

18 artigos


15 de agosto de 2018

Nem sempre os sintomas da depressão são visíveis. Por isso que é comum aquele pensamento: “Fulano nem parece que tem depressão!”. Achar que os sintomas da depressão se restringe a tristeza e desânimo é um grande mito que deve ser quebrado. Nem sempre a tristeza é o principal sintoma!

O Brasil, por exemplo, é um país mundialmente conhecido por ter um povo de bem com a vida, alegre e sorridente. Mas em contrapartida, de acordo com um relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre transtornos mentais, o país lidera o ranking da nação mais deprimida da América-Latina, e ocupa a quinta posição em nível mundial. Ou seja, nem tudo que reluz é ouro.

A mesma organização alerta que, até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo. Se conclui que este mal tomou conta da população. Mas antes de falar sobre os sintomas da depressão, é importante compreender o que é depressão. Neste vídeo o psiquiatra César Vasconcellos, apresentador do programa Claramente, da TV Novo Tempo, abordar pontos importantes sobre o que é a depressão, seus sinais e sintomas.

Depressão não é uma tristeza momentânea ou chateação. Depressão é uma doença psiquiátrica que envolve aspectos biológicos, psicológicos e sociais. Ela provoca alteração de humor, tristeza profunda, culpa, amargura, entre outros sentimentos. Mas existem outros sintomas da depressão que poucas pessoas associam à doença.

Vamos falar sobre eles agora!

1. Ganhou ou perdeu muito peso

A depressão não afeta apenas o emocional, mas seus sintomas também são físicos. Ganhar ou perder muito peso, em um curto período de tempo, pode ser um sinal de que o emocional não vai bem. A depressão causa distúrbio no apetite, que influencia a quantidade de comida a ser ingerida. Pessoas que estão em depressão podem descontar suas frustrações comendo exageradamente. E o contrário também acontece!

Vale ressaltar que nem toda alteração na balança indica depressão. Mas, se o ganho ou perda de peso estiver associado a tristeza profunda, irritabilidade, desesperança, frustrações, culpa, etc, a atenção deve ser maior! A depressão pode atingir qualquer pessoa, independente do da idade e gênero. Quanto antes for diagnosticada, mais rápido e eficaz será o tratamento.

2. Sintomas da depressão em forma de dores

A rotina trabalho, casa, estudos e compromissos faz com que o corpo fique exausto no final do dia. Mas depois de uma boa noite de sono, as energias são recuperados e essa máquina humana está pronta para mais um dia cheio de atividades. Porém, se o sono não é restaurador e algumas dores começam a ser frequentes, a luz amarela precisa acender porque a depressão também pode provocar dores no corpo.

Pode ser um sintoma da depressão dor de cabeça, dor muscular, aperto no peito, incômodo na coluna, dor estomacal, sensação de inchaço nas pernas e tensão na nuca ou fadiga. Se essas dores são frequentes, somadas a sentimentos negativos e alteração de apetite, é importante procurar um psicólogo ou psiquiatra para que a situação seja avaliada. Reconhecer que necessita de ajuda profissional é um grande passo para a cura.

3. Falta de concentração

Pessoas que sofrem de depressão geralmente não conseguem se concentrar em atividades comuns do dia a dia. A dificuldade em focar nas tarefas é um dos sintomas da doença, podendo desencadear complicações sociais e profissionais. Quando o ritmo habitual das atividades despenca, o estresse se manifesta e piora a situação. Esse efeito dominó desencadeia outros sentimentos como insegurança, medo e desinteresse pela vida.

Já falamos lá em cima, mas é importante repetir: se a falta de concentração está ligada a perda – ou excesso – de peso repentino, tristeza profunda, dores no corpo, desgosto por atividades que antes davam prazer, entre outros sentimentos negativos, está na hora de procurar ajuda. Falar com alguém de confiança sobre o que está sentindo é muito importante. Ou se notar que um colega ou familiar não está bem, não hesite em oferecer ajuda.

Por mais que a depressão seja uma doença comum, falar sobre o assunto ainda é um tabu. Por isso é importante a orientação sobre o assunto. Depressão não é frescura e muito menos um problema espiritual. Depressão é uma doença e deve ser tratada como tal. Acredite: assumir a doença não é sinal de fraqueza, mas um largo passo rumo a cura.

Muito importante: este não é um post para diagnóstico, ok? Este artigo tem o objetivo de promover maior compreensão do que é a depressão e, consequentemente, ajudar pessoas.

E se você percebeu que está com algum desses sintomas de depressão, procure o quanto antes médico ou psicólogo. Se gostou desse artigo, deixa seu comentário aqui embaixo!

Voltar