Câncer de próstata: mitos e verdades

90% dos casos de câncer de próstata tem cura quando descoberto na fase inicial. Mas por preconceito, muitos homens não levam a sério o assunto.

Marcela Borges

Enfermeira, mestre em Saúde Pública

13 artigos


20 de novembro de 2020

O Câncer de próstata é um tumor que afeta a próstata, uma pequena glândula do tamanho de uma noz que envolve o canal da uretra que fica localizada logo abaixo da bexiga.

Esta glândula tem como principal função produzir os nutrientes e fluidos que constituem o esperma.

Embora o câncer de próstata seja o segundo tipo de neoplasia mais prevalente em homens, por medo ou por desconhecimento eles preferem não falar sobre este assunto.

Porém, todos os homens deveriam estar alerta, uma vez que o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que serão notificados 65.840 novos casos de câncer de próstata em 2020.

Além disso, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata.

Então, diante da importância deste assunto vamos desmistificar alguns mitos e verdades sobre este tipo de câncer.

Mito ou verdade?

O câncer de próstata é uma doença relacionada ao envelhecimento do homem?

Verdade. As maiores vítimas são homens a partir dos 50 anos, onde um quarto de casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. No Brasil, a cada dez homens, nove têm mais de 55 anos.

Isso torna este câncer, mais do que qualquer outro tipo, uma doença da terceira idade.

Ter um familiar próximo com esse tipo de câncer aumenta minhas chances de ter a doença?

Sim, isso é fato! Ter um familiar que já teve a doença, aumenta suas chances. Nesse caso é preciso começar o acompanhamento médico mais cedo, com 45 anos de idade.

Contudo, existe esperança! Pois, a maior parte dos casos ocorrem sem histórico familiar. O câncer de próstata hereditário corresponde apenas 5% dos casos.

Por isso, vale destacar que também existem outros fatores que aumentam as chances de um homem desenvolver câncer de próstata – os ambientais e os relacionados ao estilo de vida, além da idade avançada.

Recentemente, por exemplo, estudos mostraram um maior risco de desenvolver câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado. Então, se cuidar é fundamental!

“Não sinto nada, certamente não tenho câncer de próstata!”

Mito! Um em cada seis homens, com idade de 45 anos, podem ter a doença sem sequer saberem disso.

Muitas vezes, este tipo de doença se desenvolve de forma assintomática, induzindo os homens à crença de que, por não terem sintomas, não estão doentes.

O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não causa dor, nem tão pouco apresenta sintomas. No entanto,  à medida que o tumor aumenta, os sinais e sintomas podem aparecer. Tais como:

  • Sangue na urina ou sêmen;
  • Interrupção do fluxo de urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Dificuldade para iniciar e terminar de urinar;
  • Sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

O câncer de próstata pode ser prevenido?

Com certeza! Para isso, é necessário reavaliar o seu estilo de vida incluindo fatores protetores.

Então, procure manter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, isso ajuda a diminuir o risco de câncer. Fato comprovado!

Além disso, também é recomendado manter outros hábitos saudáveis, como fazer – no mínimo – 30 minutos diários de atividade física.

Em síntese, os fatores que mais ajudam a prevenir o câncer de próstata são:

  • Alimentação saudável;
  • Peso corporal adequado;
  • Prática de exercício físico;
  • Não fumar;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

O exame de PSA e ultrassonografia substitui e exame de toque retal?

MITO! Apesar de ser muito importante medir o nível de PSA, pois seu resultado pode alertar para as alterações na próstata, com o toque retal é possível detectar os cânceres mais agressivos. Por isso não basta apenas o toque ou o PSA, é o conjunto dos dois exames que garantem uma análise completa.

Já na ultrassom, mesmo com a imagem, não é possível a percepção de todos pontos importantes para a avaliação. Mas no exame de toque, o médico pode perceber ao analisar a área.

Mesmo sem sinais de câncer de próstata, ainda preciso fazer o exame de toque anualmente?

Verdade! Este exame precisa fazer parte da rotina anual de todos os homens acima de 50 anos de idade. Lembrando que aqueles que têm parentes de primeiro grau com história de câncer de próstata devem começar antes – aos 45 anos.

Por isso, mesmo na ausência de sintomas: homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou com 50 anos, devem ir ao urologista uma vez ao ano!

O exame de toque dói?

Mito! O toque retal é muito mais simples do que parece e mesmo na presença de câncer, não dói. Pode até ser desconfortável, mas não é doloroso. É preciso quebrar esse preconceito. O ministério da saúde refere que a sensação de dor está ligada ao psicológico.

Urologistas também contam que muitos homens dizem que se soubessem como era, teriam ido antes. Eles se surpreendem com a tranquilidade e rapidez do exame.

Bom, entre as principais razões que levam os homens a terem receio de se submeter ao exame, vão desde questões culturais até mesmo o medo de descobrir que tem a doença.

Mas saiba que, o diagnóstico precoce pode garantir a cura do câncer de próstata. Segundo o INCA, a descoberta num estágio inicial dá até 90% de chances de cura.

Então e você? Já realizou seu exame anual de próstata? Não perca tempo! Afinal, para ser homem também é preciso cuidar da sua saúde.

Este artigo pode salvar vidas! Então compartilhe com alguém que você ama ❤️

Voltar