Descobri que tenho câncer, e agora?

Seu mundo perdeu o chão após a notícia? Veja três conselhos de como lidar com o diagnóstico.

Alessandra Guimarães

Jornalista e Gestora de Conteúdo

24 artigos


25 de outubro de 2019

Sim, não é fácil receber esta notícia! Saber que as coisas não vão bem dentro da gente é uma sensação bem ruim. Difícil também – pra não dizer assustador – é conseguir falar em voz alta: eu tenho câncer!

É como se a vida entrasse em pause. Além disso, automaticamente, o pensamento que começa a reger tudo é “vou morrer”. É uma sensação terrível!

Escrevo este texto com propriedade. Há quase quatro anos recebi esta notícia e, confesso, não é NADA fácil!

Os planos para o futuro são colocados de lado. Os sonhos param. E a vida que antes era bela ganha um sabor diferente, um amargo difícil de engolir.

E se você acabou de receber esta notícia, eu quero te passar três conselhos que vão te ajudar a lidar com esta nova realidade.

Primeiro…

Calma, respire fundo!

Mesmo conhecendo alguém que já enfrentou a doença ou, até mesmo, ter convivido de perto com um paciente, não há NADA que nos prepara para ouvir: é câncer!

E após a notícia, o melhor conselho é colocar a cabeça no lugar, respirar fundo e encarar o problema. Tem que operar? Então vamos! Tem que começar a quimio? Então comece! O cabelo vai cair? Provavelmente, mas vai crescer de novo!

Ter calma é fundamental para pensar sobre a nova fase de forma equilibrada.

O medo e toda a tensão que envolve o tratamento, pode te fazer entrar numa espiral de descontrole. Mas de verdade? O que você precisa agora é ter calma!

Converse com os seus familiares (porque o câncer é uma doença que afeta todos ao redor) e peça que eles te ajudem a ter momentos tranquilos e de paz durante o tratamento.

Além disso, tente não se preocupar com o que é periférico. A sua prioridade deve ser o tratamento e as exigências que ele vai trazer: descanso, novos hábitos alimentares, pensamentos positivos.

“Eu só tenho câncer!”

O câncer ainda é um grande tabu. Muitas pessoas nem mesmo gostam de falar o nome do problema e apenas dizem “aquela doença ruim”. Mas infelizmente, são essas posturas que perpetuam o tabu!

O câncer é sim uma doença grave e séria. Mas hoje em dia, ter câncer não é um diagnóstico de morte, como era no passado.

A cada ano, as pesquisas médicas avançam e novos métodos de tratamento – com bons resultados – são incorporados nos protocolos. E as chances de cura estão cada vez mais altas!

Hoje em dia, receber um diagnóstico de câncer significa que você terá que passar por um tratamento de saúde minucioso. Mas isto não significa que você vai morrer, entendeu?

Desmistificar a doença é um excelente caminho para ter otimismo durante o tratamento. O câncer não deve ser um monstro que está prestes a te devorar, mas apenas um obstáculo temporário!

Por isso, faça um exercício mental diário até se convencer que: “eu só tenho câncer!”.

E, por último, o maior e mais importante conselho que eu posso te dar após receber a notícia de um câncer: confie!

A fé e o processo de cura!

Aqui no blog, já falamos sobre a importância da fé no processo de cura de uma pessoa. Lembrando que já existem estudos científicos que abordam a crença em algo superior como uma aliada nos tratamentos de saúde. E foi o que eu vivi!

No processo do meu tratamento – que incluiu várias internações, enjoos constantes, queda de cabelo e perda de peso – busquei forças na fé para enfrentar os piores dias.

Talvez você não tenha a mesma crença que eu, mas eu te garanto, confiar que existe Alguém protegendo, conduzindo, amenizando as dores e sofrimentos, é o que me deu esperanças para continuar lutando para sobreviver.

Um dia, em umas das internações, um dos médicos me disse que minha fé era um ingrediente poderoso. Ele comentou que pacientes com esperança, fé e confiança que existe algo maior, possuem melhores resultados.

Pela minha experiência eu afirmo: confiar e crer em um Poder Superior foi fundamental para o bom resultado do meu tratamento.

Bom, estes são três conselhos que acho importantíssimo para quem acabou de receber a notícia de um câncer.

E você acha que este artigo pode ajudar alguém? Então compartilha!

Voltar