As famosas “ites” do inverno

No inverno, principalmente, a sinusite, rinite, otite, laringite e outras “ites” dão as caras. Veja como lidar com essas doenças respiratórias.

Marcela Borges

Enfermeira, mestre em Saúde Pública

20 artigos


8 de agosto de 2021

É muito comum, principalmente no inverno, ouvir alguém falando que sofre de alguma das famosas “ites”: otite, laringite, amigdalite, sinusite e faringite.

Fato é que, uma gripe mal curada, pode progredir para uma infecção e atingir ouvido, laringe ou amígdala, provocando as famosas “ites”.

Por conta disso, essas infecções necessitam de tratamentos mais complexos, feito com anti-inflamatórios ou antibióticos, mas sempre sob orientação médica.

“Ites” do inverno atacando o ouvido

Antes de tudo, é preciso entender que o ouvido pode ser dividido em três partes. A primeira parte é o ouvido externo, canal onde se forma a cera.

Depois vem o tímpano, conhecido como parte média do ouvido. E, por fim, a parte mais interna onde fica o labirinto.

De forma geral, a otite é resultado de um resfriado, gripe ou rinite alérgica que levaram ao acúmulo de secreção no ouvido médio, causando o tipo mais comum de otite. Já a infecção no ouvido externo ocorre por causa de umidade, e é uma otite mais branda.

A saber, o primeiro sintoma da otite é a dor, que se apresenta intermitente e constante com piora quando se comprime logo à frente da orelha.

Além disso, essa dor pode irradiar para a cabeça ou o pescoço, do mesmo lado do ouvido afetado. Em caso de uma otite média, boa parte do tratamento é feito com antibióticos.

Enquanto que na otite externa, o tratamento é mais brando, geralmente com solução em gotas de uso local, mas sempre receitado pelo médico.

Prevenindo a otite

No caso, em crianças que mamam no peito, é preciso evitar amamentação com a criança na posição deitada. Nesta posição é frequente que uma pequena quantidade de leite se infiltre no canal auditivo causando a inflamação.

Outra dica também, que vale para crianças e adultos, é que para evitar a otite externa, é preciso secar bem a parte externa do ouvido depois do banho e da prática de atividades aquáticas.

Infecção no rosto? Sinusite

Mais uma das famosas “ites” do inverno, a sinusite é o acúmulo de secreção nos seios faciais, ou seja, nas cavidades dos ossos da face.

Essa secreção provoca um processo inflamatório das membranas que existem no local, podendo se tornar uma enfermidade crônica.

No caso, os sintomas mais comuns são:

  • Irritação na garganta
  • Dor ao redor dos olhos ou do nariz
  • Dor de cabeça constante
  • Sensação de peso no rosto ou na cabeça principalmente ao abaixar
  • Congestão nasal
  • Secreção nasal amarela ou esverdeada
  • Tosse que piora à noite
  • Febre

Então, na presença dos sintomas indicativos de sinusite, que estejam acompanhados de febre, secreção purulenta pelo nariz e dor intensa na face, o destino deve ser o médico para uma recomendação de tratamento.

Porém, se os sintomas forem leves ou de um resfriado (saiba qual a diferença entre resfriado e gripe), pode haver melhora com cuidados em casa.

Com isso, é recomendado que por até 10 dias se faça o uso de analgésicos, anti-inflamatórios ou corticoides, prescritos pelo médico.

mulher com as mãos no rosto como se estivesse sentindo dor na face
A diferença da sinusite aguda com a crônica está relacionada com o tempo dos sintomas: mais do que 12 semanas de sintomas já é considerado um caso crônico.

Dicas naturais para aliviar a sinusite

Ao mesmo tempo, existem algumas receitas naturais que podem ajudar no alívio dos sintomas da sinusite. Tais como:

  1. Beber 2 litros de água por dia para fluidificar a secreção
  2. Fazer inalação ou vaporização de 2 a 3 vezes por dia com soro fisiológico no inalador; vapor de eucalipto ou orégano; ou respirar profundamente o vapor do banho
  3. Lavar o nariz com soro fisiológico, até 4 vezes por dia, usando uma seringa de 20 ml
  4. Fazer cataplasma de argila sobre os seios da face (testa, nariz e osso maxilar), 2 vezes por dia. Deixe o cataplasma no local até secar.

Enfim, essas receitas aliviam os sintomas e complementam o tratamento indicado pelo médico.

Mas atenção! Se os sintomas forem intensos, com presença de febre ou que não melhoram em até 10 dias, pode ser necessário o uso de antibiótico.


Como fazer a vaporização com eucalipto

Ingredientes

  • 5 gotas de óleo essencial de eucalipto
  • 1 litro de água fervente

Modo de preparo

Coloque a água fervente numa vasilha e adicione as gotas do óleo essencial. Cubra a cabeça com um pano e inale o vapor. Respire o vapor profundamente por até 10 minutos, repita 2 a 3 vezes por dia.

Caso não se tenha óleo essencial também é possível fazer a vaporização com o chá das folhas de eucalipto.

Plantas medicinais para vaporização: camomila para rinite alérgica e tosse irritativa; orégano e eucalipto para expectorar e sinusite.

Amidalite é uma das famosas “ites” do inverno

Mais uma das famosas “ites” do inverno são as amidalites provocadas por vírus, apenas 15% são causadas por bactérias.

Isso significa que em 80% dos casos, não é preciso antibiótico.

Agora, sobre os sintomas, a amidalite leva ao aparecimento de coceira e dor na garganta que dura mais de dois dias.

Assim como, aparece a dificuldade para engolir, a falta de apetite, a tosse seca, a febre e o mal estar.

Sobre o tratamento, pode ser feito com o uso de antibióticos derivados da penicilina, no caso de inflamação causada por bactérias. e remédios para controlar a febre e a dor, caso a amidalite seja de origem viral.

Embora a amidalite dure em média três dias, é comum o médico indicar o uso de antibióticos por mais tempo para garantir a eliminação da bactéria do organismo.

Assim como é importante que o tratamento seja feito conforme indicado para evitar complicações ou retorno da doença. 😉

Seja como for, vale também associar ao tratamento convencional os tratamentos caseiros.

Por exemplo, cataplasma de argila no pescoço, gargarejos com argila diluída em água ou com água morna salgada ou água morna, limão e sal ou água com bicarbonato – 2 vezes por dia.

Esses agentes antibacterianos auxiliam no alívio dos sintomas e combate o agente infeccioso.

Gargarejo para amidalite

Ingredientes

  • 3 col. (sopa) do suco da cebola
  • 3 col. (sopa) do suco da tanchagem
  • 3 col. (sopa) do suco de alecrim
  • 1/2 copo do chá de malva

Modo de usar: Junte os sucos no chá de malva e gargareje de 2 em 2hs.

Outras recomendações:

  • Beber bastante água
  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina C
  • Preferir o consumo de alimentos líquidos ou pastosos

Inflamação na faringe: faringite

Do mesmo modo, a faringite também é famosa no tempo frio. Ela é uma inflamação na garganta que pode ser provocada tanto por vírus, quanto por bactérias.

No caso de faringite viral, os vírus causadores podem ser adenovírus, coronavírus, rinovírus, influenza ou parainfluenza. Também ocorrer em consequência de um resfriado ou gripe.

Além de infecções das vias respiratórias, a faringite também costuma acompanhar as amidalites.

Da mesma forma que as outras infecções, apenas o médico consegue definir com precisão se a dor de garganta é proveniente da faringe ou amígdala, pois o sintomas e até mesmo as causas são muito semelhantes.

Mas veja alguns dos sintomas da faringite:

  • Dor intensa, vermelhidão e inchaço na garganta
  • Dificuldade para engolir
  • Rouquidão
  • Febre
  • Aparecimento de pequenos carocinhos doloridos no pescoço

No caso, o tratamento da faringite vai variar de acordo com os sintomas e a causa. Ou seja, se viral ou bacteriana.

Mas, independente da causa, é importante incluir ao tratamento os cuidados de permanecer em repouso e ingerir bastante líquido.

Outro cuidado importante é com a alimentação. Evite alimento muito quente ou gelado. Também procure falar menos, para evitar a tosse e piorar dos sintomas.


Atingiu a laringe? É laringite

Finalizando, dentro do grupo das famosas “ites” de inverno está a laringite, que é a inflamação na mucosa da laringe, parte superior da traquéia.

Do mesmo modo que outros problemas já citados, a laringite pode ter causa viral ou alérgica.

Nesse sentido, ela pode ser aguda, causada por uma infecção viral como num resfriado comum. Ou crônica, provocada pelo uso excessivo da voz, infecções graves, reações alérgicas e inalação de agentes irritantes (como fumaça de cigarro). 

Em geral, os sintomas são: falta de apetite, febre, dor ao engolir e falar, coriza, tosse e, principalmente, rouquidão.

Algumas vezes esses sintomas se intensificam e são associados a falta de ar e inchaço nas vias respiratórias, o que faz com que o ar passe “assobiando”.

Assim, o tratamento consiste em medicamentos para aliviar os sintomas e, dependendo do caso, antialérgicos.

Além disso, o tratamento para laringite depende dos sintomas, mas o repouso da voz e a inalação de vapor aquecido aliviam o desconforto e ajudam na cura da área inflamada.

Logo, a principal estratégia utilizada no tratamento da laringite é a inalação de ar umidificado, como a inalação do vapor do chá de eucalipto que possibilita a melhora em pouco tempo. A receita está lá em cima!

Por fim, pacientes com laringite devem beber bastante líquido, ficar em repouso, não forçar a voz, evitar inalar fumaça ou poeira e diminuir as suas atividades evitando esforços.

As famosas “ites” do inverno são presença garantida na estação, por isso, tome os cuidados com a sua saúde para que você evite o encontro com esses desagradáveis problemas.

Se você gostou do conteúdo? Então compartilhe! 😀

Voltar