Câncer de pele: 6 dicas para evitar este problema

O câncer de pele é uma preocupação que cresce com a chegada do verão. Mas tem como aproveitar os dias quentes e cuidar da saúde.

Colunistas

20 artigos


5 de dezembro de 2019

Dezembro chegou e com ele vem a lembrança da prevenção ao câncer de pele, que corresponde a 33% dos casos de cânceres no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Infelizmente, todos os novos, cerca de 180 mil novos casos de câncer de pele são diagnosticados no Brasil. Mas se diagnosticado cedo, a doença pode ter uma taxa de cura superior a 90%. O que é muito expressivo!

No caso, a exposição excessiva ao sol é uma das causas da doença. Por isso o cuidado com a pele neste período do ano deve ser redobrado.

Por isso, aqui vão 6 dicas para prevenção do câncer de pele:

A prevenção contra o câncer de pele começa na infância

Para ficar longe do câncer de pele, estudos mostram que o uso do filtro solar na infância é um grande aliado. Ele reduz em 40% a chance de desenvolver a doença na vida adulta.

Para quem tem criança em casa, fique atento: os filtros solares podem ser usados a partir dos 6 meses de idade!

Mas para as crianças, o filtro solar recomendado é o chamado físico, onde sua composição cria uma barreira para a luz através de ativos como óxido de zinco ou dióxido de titânio

Esse filtro é diferente do filtro solar comum (químico), que absorve a luz. No caso, o filtro solar físico tem menor propensão a causar alergias em crianças.

De todo modo, procure um dermatologista para que ele recomende o melhor produto para os pequenos.

Porém, se você é adulto e quer ficar longe deste problema, o próximo tópico vai te ajudar.

Xô câncer de pele! Use filtro solar!

Bom, existe uma regra chamada 70/30 e funciona assim: 70% da exposição solar ao longo da vida é no dia a dia (do carro para o trabalho, por exemplo).

No entanto, somente 30% da exposição é intensa, como ocorre durante as férias ou praia.

Por isso, apesar de muitas vezes acharmos que pegamos pouco sol, é importante utilizar mesmo assim o filtro solar.

Para não esquecer de passar, tenha sempre o filtro solar perto de você.

Saiba se proteger!

Como você já percebeu, o filtro solar é o fotoprotetor mais famoso! Mas é preciso saber escolher o produto certo.

Primeiro, ele deve ter o fator de proteção solar (FPS) a partir de 30 ou mais. Isso significa, basicamente, que a proteção da sua pele aumentará em 30 vezes ou mais, de acordo com o fator que escolher.

Mas se há transpiração ou exposição for excessiva, o filtro deve ser aplicado a cada 2 horas. Caso contrário, sua pele não estará protegida!

Fora isso, a quantidade média que deve ser usada é de uma colher de chá para o rosto e 3 colheres de sopa para o corpo.

Sobretudo, não pense apenas no filtro solar (creme) como a única forma de proteção.

A fotoproteção também pode ser feita através do uso de roupas com FPS ou de algodão, que bloqueiam a maior parte dos raios UV.

Porém, é bom lembrar que, as roupas sintéticas em geral, não são confiáveis para essa proteção!

Tome sol de forma correta!

Veja bem, evite a exposição solar intensa. Além disso, permaneça na sombra entre as 10 e 16 horas.

Para saber, a radiação UVB – principal causadora de alterações na pele – é mais intensa nesse período.

No caso, o UVA é constante desde o amanhecer até o entardecer, por isso, se você se expor nesse período é importante fazer a fotoproteção.

Veja só, o sol não é um vilão! Pelo contrário, ele é fonte de vitamina D, que é essencial para a saúde. Mas é preciso saber se cuidar nestes períodos mais quentes do ano. Como tudo na vida, o excesso nunca é bom!

Por isso, fique atento!

Conheça a sua pele!

Por último, é preciso estar atentos à nossa pele.

Se qualquer pinta mais escura, disforme, que sangra ou possui uma crosta constante aparecer, é o dermatologista que precisa avaliar, ok? No caso, essa avaliação de toda a pele deve ser no mínimo anual.

Vale lembrar que a taxa de cura do câncer de pele aumenta conforme a precocidade do diagnóstico. Então, vamos nos cuidar não é mesmo?

Este artigo te ajudou? Então compartilhe com alguém!

*Autor do artigo: Dr. Guilherme Bittner, dermatologista do Centro de Vida Saudável do Hospital Adventista do Pênfigo.

Voltar