Blue Zones: onde as pessoas vivem mais

Entenda porque algumas comunidades espalhadas pelo mundo vivem mais do que as outras

Alessandra Guimarães

Jornalista e Gestora de Conteúdo

24 artigos


8 de julho de 2019

A média de vida mundial aumentou nos últimos cinco anos. Nas Américas, por exemplo, a expectativa de vida é de 75 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas independente das estatísticas, em todo o lugar, pessoas vivem mais do que as outras, e este resultado está ligado à uma série de fatores.

De acordo com o dicionário Houaiss, longevidade é quando a duração da vida está mais longa do que o comum. Sabe aqueles idosos que atingem a marca dos 90 anos ou ultrapassam os 100 anos de idade? Então, esses já são considerados longevos!

Agora, imagine um lugar onde idosos com quase dez séculos não são raridade, mas realidade! Sim, lugares assim existem e são conhecidos como Blue Zones:regiões espalhadas pelo mundo onde seus habitantes têm maior longevidade e qualidade de vida, longe de doenças e outros problemas decorrentes da idade avançada.

Comunidades onde as pessoas vivem mais

Desde 2004, diversos estudos são realizados em localidades com forte relação entre longevidade e saudáveis hábitos de vida. Essas regiões foram nomeadas como Blue Zones, em tradução livre, Zonas Azuis, que concentram diversas pessoas que ultrapassaram os 100 anos de idade, mas que aparentam e realizam atividades como se tivessem 30 anos a menos. Algo impressionante!

Ao todo, são cinco regiões no mundo que ganharam o título de Blue Zones, termo cunhado pelo jornalista da National Geographic, Dan Buettne, após mapeamento realizado por uma equipe de médicos, antropólogos, demógrafos e epidemiologistas.

Está curioso para saber quais são esses lugares onde as pessoas vivem mais? A gente vai te contar 😉

O primeiro deles fica na Itália, na província de Nuoro na Sardenha. Neste local, a maioria dos homens alcança os 100 anos de idade. A segunda região é Okinawa, no Japão, ali, além de muitos habitantes serem centenários, os casos de demência registrados são um terço menor do que nos Estados Unidos.

Outra região onde as pessoas vivem mais é Nicoya, na Costa rica. Pesquisadores perceberam que os habitantes desta península são focados na família, gostam de rir e ouvir outras pessoas e, além disso, possuem um senso de propósito que os motiva a viver. Essas e outras características resultam em longevidade para a população.

A quarta Blue Zone fica na Grécia, na ilha de Ikaria. Um a cada três Ikarianos chega aos 90 anos, além da ilha estar quase totalmente isenta de demência e outras doenças crônicas.

Loma Linda e seus resultados impressionantes

Por último, a quinta região do mundo em destaque pela longevidade e boa qualidade de vida, fica nos Estados Unidos, no sul do estado da Califórnia, na cidade de Loma Linda. Os habitantes do local vivem até uma década a mais do que o restante dos americanos, impressionando diversos pesquisadores. Loma Linda tem uma característica diferente das demais Blue Zones: a religiosidade.

A maior parte dos habitantes são Adventistas do Sétimo Dia e, por entenderem que o cuidado com corpo é essencial para o relacionamento com Deus, se abstém de carnes, fumo, álcool e praticam exercícios regularmente. O resultado dessa combinação é saúde que chama a atenção do mundo!

Ao estudar essas comunidades, o jornalista e os pesquisadores perceberam que existem nove conceitos que levam à longevidade. E é sobre isso que vamos falar agora!

Pessoas que vivem mais têm pontos em comum

Os moradores das Blue Zones compartilham estilos de vida em comum, que contribuem para a longevidade. Ter propósito, uma vida ativa, rotina desacelerada, não exagerar na comida, se alimentar com vegetais, momentos de socialização, religiosidade, valorização da família e círculos sociais que apoiam hábitos saudáveis são alguns deles.

No entanto, algumas outras práticas seguidas pela comunidade de Loma Linda, garantem melhores resultados, como abstinência do fumo, bebidas alcoólicas, dieta vegetariana e prática regular de exercícios físicos.

De fato, existem várias razões pra deixar a bebida de lado, e pelo exemplo de Loma Linda, é possível perceber que esta atitude influencia diretamente na qualidade e tempo total de vida. Além disso, uma dieta vegetariana também se mostrou fundamental para que a longevidade seja uma característica deste grupo de americanos.

As Blue Zones podem estar distantes de você, mas é possível viver a experiência dessas comunidades mudando hábitos de vida, deixando pra trás o que tem roubado o que existe de mais importante: sua saúde!

Gostou? Então compartilha com seus amigos!

Voltar